quinta-feira, 26 de abril de 2012

Alopécia areata: Relato de quem já viveu este drama


Oi meninas, vivemos numa sociedade onde se preza muito a aparência física. Na hora da paquera, na busca de uma colocação no mercado de trabalho, o que se destaca é aquele que possui os padrões de beleza exigidos pela sociedade, hipocrisia dizer o contrário. Dizem até que nossa aparência é nosso cartão de visitas. E para mantermos uma boa imagem é preciso ter vários cuidados. Um dos problemas ainda incontornáveis, embora exista no mercado muitos produtos que evite sua aceleração é a alopecia, comumente conhecida como calvície. Algo que ao meu ver não atingia as mulheres, achava que era só um problema que atingia os homens, até eu acordar um belo dia( mais especificamente dia 25 do mês de junho de 2011) com um círculo enorme em minha cabeça sem nenhum cabelo, aquilo me deixou desesperada,achei que estivesse com alguma doença rara e incurável ou que estivesse vivendo um pesadelo. No meio de todo aquele desespero, resolvi marcar uma consulta no dermatologista e também comecei a pesquisa da internet e antes mesmo de minha consulta, eu já tinha noção de  que era portadora de uma doença chamada alopecia areata e para meu espanto eu não era a única, milhares de mulheres no mundo inteiro passa por esse drama, algumas conseguem reverter a doença com o uso de medicamentos tópicos, outras perdem totalmente os cabelos, e outras se manifestam apenas em placas que sempre aparecem e desaparecem.
Depois da descoberta, acredito que o período de tratamento foram os piores meses de minha vida, eu sonhava ficando completamente careca, é algo que afeta diretamente o nosso psicológico,ainda mais em se tratando de nós mulheres, sem contar que o tratamento é caro, dispendioso a minha sorte foi de ter contado com o apoio de uma profissional competente e paciente na área da dermatologia.
Segundo minha dermatologista a causa principal do meu problema poderia ser o stress (já que meus exames não apontavam nada de anormal comigo) e realmente quando descobrir a doença estava passando por um período muito turbulento em minha vida, com a perda de meu pai e alguns problemas que para mim estava sendo difícil de administrar. Acho que a alopecia era a resposta de meu corpo, me dizendo que eu não estava bem.
Numa das minhas muitas visitas a comunidades do Orkut que abordavam o tema, vi o relato de uma garota chamada Aniella que me deu muitas esperanças de voltar a ter cabelos normais, já que em todas o que via eram relatos de pessoas que já haviam gastado com todo tipo de medicamento e que não tiveram resultado satisfatório e algumas até já tinham raspado o pouco cabelo que restou e tinham adotado as full lace wig( prótese capilar), mas o depoimento da Aniella me deixou cheia de esperanças, segue o relato logo abaixo.
Eu Tive e me curei.
Administrando melhor o meu stress, dando um novo colorido à minha vida, fazendo o tratamento proposto pela médica assistente na época, de março a julho deste ano. Minha atual dermato é show, mestra lá no Fundão,Dra. Cleide Eiko Ishida, que é Psicossomática também e que como eu, sabe que toda doença de pele e cabelo, está ligada às perdas emocionais não superadas, não trabalhadas em nossas mentes. Por isso, faço análise, há seis anos com Dr. Maurício Tostes, setor de Transplantes do HUUFRJ. Outro "cobra"!!! a AA(a doença) existe, o doente, pode existir ou não.Vai depender de nós! Sou uma apologista da sua tese, sou a favor de ser viver a vida o mais natural e intensamente possível, esquecer a doença, e pelo que lhe envio, você pode ver que sou uma otimista em tudo, aqui não entra baixo astral. De todas as comunidades que frequentei sobre o assunto, esta me parece ser a mais saudável, onde não há aquela "neura" da troca do que deu certo , do que não deu.Abomino tudo o que seja mais lesivo à saúde física e mental. A cura vem de dentro de você, exatamente como tão bem explicou: vivendo uma vida normal, exorcizando o stress. VIVENDO! Claro que existe um nível mínimo de organicidade, a chamada propensão, o mapeamento genético, mas certo é que com seus anticorpos fechados, a doença não vai agir, porque você não irá permitir. Quando falo em cura, falo em remissão dos sintomas, apenas. Nada é definitivo. O Ca de mama é um exemplo. Quando menos se espera, lá está ele, num outro lugar, totalmente inusitado... Nisso consiste a briga entre a saúde e a doença. Uma doença só o ataca se você deixar, por anticorpos abertos ao estado mórbido, aí, sim, o "adoecer" se implanta. Está de parabéns pela maneira objetiva de pensar, é com a força do pensamento que se vence e não com drogas caras, perigosas para a saúde, pois a AA já é uma grande agressão psicológica a cada um de nós. Para que agredir mais? Precisamos fortalecer nossas defesas, exatamente não pensando e se pensar, vamos esperar pelo melhor. Sempre... Tenho conversado com diversos colegas dermatologistas e imunologistas, que são categóricos em afirmar que existem doenças e doentes e é você quem escolhe o lado onde quer ficar. Penso que eu e você já fizemos a nossa opção, a da saúde, a da não preocupação. Este é o caminho.
Resolvi seguir os conselhos da Aniella e não é que tem dado certo.
A licença de meu trabalho, juntamente com o tratamento, o apoio de garotas que conheci na internet com o mesmo drama, o apoio do Dr. Peruzzo via e-mails e as muitas consultas a um neuro-psiquiatra que me prescrevia medicamentos que me ajudavam a aliviar o stress, a ficar mais tranquila e menos ansiosa fizeram com que meus cabelinhos voltassem a nascer. Não posso dizer que estou completamente curada, pois ainda continuo com o tratamento e sei que a alopecia areata costuma ter recidivas, mas estou aprendendo a viver a vida administrando melhor o stress e apesar dos problemas que temos já que deles não podemos fugir, eu tento pelos menos não dar a eles uma proporção maior do que eles tem.




6 comentários:

  1. Nossa adorei a postagem me ajudou muito estou desesperada meu cabelo sofreu um enorme raramento frontal e nas laterais!
    Tenho 30 anos a saida foi cortar estilo "joãozinho" isso para uma mulher que sempre tratou das madeixas é a morte!tenho uma consulta marcada com a dermato esta semana estou ate entrando em depre mais pelo que li aqui entra em "nóia"stress é pior né
    Vou procurar manter a mente em ordem para DESESTRESSAR... e seguir em frente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é imagino o quanto tem sido difícil pra vc. Mas procure se acalmar, sua dermato com certeza lhe indicará o melhor tratamento e no final tudo dará certo. Quanto mais rápido vc procurar ajuda, mas chances terá de ter uma recuperação total de seus cabelos.

      Excluir
  2. Ha 20 dias encontrei circulo em minha cabeça completamente sem cabelo
    Fiqei louka,procurei imediatamente uma dermatologista e fui diagnosticada com alopecia areata.
    Fiz os procedimentos no local q eu encontrei sem cabelo e em mais um lugar onde eu ainda nao havia visto..
    Fiqei meio louka mais estressada ainda meus cabelos caindo de punhado dua apos dia...
    Procurei um clinico vou fazer exames de tiroide e hormonios.
    Passei pelo psiquiatra e to tomando uns remedinhos pra conseguir ficar mais calma
    Axei q seria o fim
    Mais tenho muita fé em Deus q logo vou me curar...
    E qe Deus mr ajude
    Estou na luta

    ResponderExcluir
  3. Oi, faz 3 anos que tenho esta doença e cada dia tenho mais cereza que ela psicossomática, preciso curar munha mente.
    Vc poderia me indicar o neuro-psiquiatra com quem se tratou?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caroline Ferreira,sua alopecia já foi curada?

      Excluir